• Av. Alcindo Cacela, 1277 - Umarizal
  • +55 (91) 3205-1600
  • Atendimento: Segunda a Sexta - 08h00 às 17h00

Palestras abordam sobre temas científicos e condutas profissionais

Palestras abordam sobre temas científicos e condutas profissionais

A programação científica começou com a palestra da técnica de Saúde Bucal (TSB), Maria Aparecida Ribeiro (MG), que abordou o tema “Odontologia do Sono”, dando ênfase à apneia do sono. Ela alertou os profissionais sobre a importância da qualidade do sono durante a noite para que a pessoa possa ter um dia seguinte produtivo. “A falta de um sono restaurador afeta o rendimento do profissional durante o dia”, afirmou Aparecida.


O conteúdo serviu para os próprios profissionais, mas também para eles se tornarem multiplicadores desse conhecimento junto aos colegas e aos pacientes nos consultórios odontológicos. 


A auxiliar de Saúde Bucal (ASB) Silvana Dantas (MG) falou sobre “O uso do EPI é um excesso de zelo?”, oportunidade em que mostrou as razões pelas quais os equipamentos de proteção individual (EPIs) (luvas, jalecos, máscaras, óculos etc.) nunca devem ser deixados de lado, assim como as medidas de biossegurança. 


Exibindo imagens com exemplos reais de acidentes que podem acontecer no ambiente de trabalho, Silvana disse aos profissionais que eles precisam estar com a atenção no que estão fazendo para evitar acidentes de trabalho. “No consultório odontológico é fundamental estarmos com o nariz, olhos e boca sempre protegidos”, alertou a palestrante.


De forma bastante descontraída, o cirurgião Thales Janner Falcão (RN) proferiu palestra sobre “Os desafios atuais e perspectivas futuras das profissões auxiliares odontológicas”, chamando a atenção dos TSBs e ASBs sobre a necessidade urgente de se unirem e lutarem por melhores salários e condições de trabalho. E até deu sugestões de como isso pode ser feito. Thales também destacou a importância de haver um sindicato para defender os direitos e interesses da categoria.
A biomédica e cirurgiã-dentista, Lusiane Camilo Borges (SP), consultora de Biossegurança em Saúde e autora do livro “ASB e TSB - formação e prática da equipe auxiliar”, abordou o tema “Segurança do paciente e promoção da saúde”.


Ela deu ênfase à doença periodontal que pode ser fator de risco para diversas doenças como câncer de mama, acidente vascular cerebral, cardiopatias, e doença de Alzheimer. Conforme Lusiane, “quem não tem boa saúde bucal pode ter menos quatro a cinco anos de vida”.


Segundo ela, os profissionais auxiliares podem orientar os pacientes de todas as idades e cuidarem da sua saúde bucal. “Não tem saúde geral quando há doenças na boca. Quando se consegue orientar a população, consegue-se reduzir os riscos. O trabalho de vocês é mais importante do que vocês imaginam “, afirmou a biomédica.


Lusiane também expôs os riscos que existem e os cuidados que os profissionais têm que ter para não contrair e nem passar doenças para os pacientes, como, por exemplo, os vírus HIV e das hepatites B e C, que podem ser transmitidos em contato com sangue e secreções contaminadas. Ela informou que o vírus HIV permanece vivo por apenas um minuto em qualquer superfície enquanto o vírus da hepatite B pode viver até seis semanas na superfície, portanto, as medidas de biossegurança devem ser iguais no atendimento de todos os pacientes.


A cirurgiã-dentista odontopediatra Débora Cardoso (PA) falou sobre “Dicas de condicionamento infantil para a equipe auxiliar”, oportunidade em que deu orientações valiosas de como devem tratar as crianças que chegam ao consultório odontológico. Usar linguagem adequada à idade de cada criança foi uma das dicas interessantes para que o paciente se sinta respeitado. “A criança deve se sentir amada, compreendida e o profissional deve ser autêntico, manter a tranquilidade, além de ouvir e observar. Pois, no consultório podem chegar crianças deprimidas, angustiadas, estressadas, cansadas, tímidas, vítimas de maus-tratos etc. e o profissional precisa estar preparado para recebê-las e acolhê-las”, explicou a palestrante.


Os três últimos palestrantes abordaram assuntos mais técnicos. A palestra sobre “Prática de raspagem para TSBs sob supervisão” foi proferida pelo cirurgião-dentista Fábio Silva (PA); “O papel do auxiliar na Ortodontia” pelo cirurgião-dentista Gustavo Brandão; e “Lesões da cavidade bucal, como o auxiliar poderá ajudar na identificação”, proferida pelo cirurgião-dentista Erick Pedreira (PA).

Texto e fotos: Roberta Vilanova/Ascom/CRO-PA

Assine Nossa Newsletter

Receba nossos Informativos Semanalmente